Vineyardbrasil
21.02.2011 Ler todos artigos

Recebendo novos membros na equipe de louvor

Qual é o principal requisito para incluir alguém em minha equipe de louvor? Como devo proceder para convidar alguém para fazer parte de minha equipe de louvor? E se a pessoa não estiver musicalmente pronta para a tarefa?

Constantemente nos deparamos com essas e outras perguntas em nossos seminários de treinamento. Essas são dúvidas comuns aos nossos líderes de equipes de louvor. Quem nunca teve que lidar com uma pessoa musicalmente despreparada ou um grande músico de caráter duvidoso?  
      

  
A verdade é que preferimos, às vezes, abaixar o volume do microfone de uma pessoa que desafina muito a ter que dizer não a ela quando ela nos diz: “Irmão, eu tenho um chamado para louvor. Deus já me falou isso. Você pode me incluir na escala?”
    

Ou então preferimos suportar as falhas de caráter de alguém simplesmente porque precisamos muito de seu talento.
    

Vamos colocar dessa maneira: Para fazer parte de uma equipe de louvor, a primeira coisa que a pessoa precisa é talento musical. Isso não quer dizer que o caráter não é importante. Mas nosso trabalho é essencialmente musical. Existem diversas outras tarefas na igreja que uma pessoa de bom caráter e nenhum talento musical pode realizar. Se incluirmos essa pessoa no ministério de louvor, podemos  estar privando-a de fazer parte daquilo que Deus realmente a criou para fazer.
    

Fato é que a equipe de louvor é “desejada” por sua exposição na principal reunião da maioria das igrejas – o culto de domingo. Por isso devemos estar atentos.
    

Um experiente líder de louvor e amigo meu uma vez me disse: “Fabiano, tenha cuidado em incluir pessoas em sua equipe, pois é muito fácil colocar, mas incomparavelmente mais difícil tirar”. Com o tempo descobri que ele tinha razão.
   

Seguem então algumas dicas para ajudá-lo nesse processo. Elas não garantem 100% de acerto. Eu mesmo já me arrependi por ter trazido algumas pessoas para minha equipe. Contudo, aos poucos, vamos ganhando discernimento no Senhor para essa tarefa tão difícil, porém tão importante.
   

ANTES DE TUDO, CERTIFIQUE-SE DE QUE O CANDIDATO ESTEJA SENDO PASTOREADO
   

Em nossa comunidade, o pastoreamento costuma acontecer no contexto do que chamamos de grupos caseiros (pequenos grupos de discipulado e comunhão). Talvez você não tenha informações suficientes sobre a vida do “candidato”, mas o líder dele pode  ajudar com isso. Então use esse recurso. Se essa pessoa não está engajada em um processo de discipulado e pastoreamento em sua igreja, meu conselho é que você não assuma o risco sem que antes saiba algumas questões importantes sobre ela como: desejo de servir, capacidade de trabalho em grupo, submissão à liderança, coração para adoração etc.
    

FAÇA UMA AUDIÇÃO MUSICAL
   

Se o candidato já canta ou toca em algum outro contexto, vá ouvi-lo e vê-lo em ação. Se não, marque uma audição com ele. Você pode ter um músico experiente ao seu lado para ajudá-lo. Ouça a pessoa com carinho e atenção. A partir dessa audição, você pode lhe dar três respostas diferentes: “Você está pronto”, “você tem talento, mas precisa estudar mais” ou “acho que música não é a sua aptidão”. Sei que isso é delicado. Dependendo da resposta, o “candidato” pode ficar muito triste com você. É possível que algumas pessoas passem a sentir raiva de você. Simplesmente faça sua parte, tratando do assunto com a maior demonstração de  carinho e amor possível. E entregue o resto a Deus. Esteja tranquilo sobre o fato de que você irá ser muito mais útil ao “candidato” se for sincero com ele. Incluir uma pessoa musicalmente despreparada pode se tornar uma situação constrangedora para sua equipe, para a igreja e, o pior, pode expor o “candidato” a situações desconfortáveis  por causa das suas limitações.
   

INCLUA DE ACORDO COM A NECESSIDADE DA EQUIPE
   

Para que você não tenha dificuldade em organizar suas escalas, inclua pessoas apenas nos lugares onde você está precisando. Cuidado para não desequilibrar sua equipe, por exemplo, com um número muito grande de cantoras em relação aos cantores e músicos. Tenha em mente quantas vagas você tem para cada área (baterista, baixista, guitarrista, vocal masculino, vocal feminino etc.) e trabalhe dessa maneira.
   

PREPARE A SUA EQUIPE PARA RECEBER NOVOS MEMBROS
   

Cuide para que a logística de funcionamento da equipe não funcione apenas para músicos extremamente experientes porque, se agir assim, você nunca terá lugar para novos.
   

Há alguns anos tínhamos uma equipe pequena, mas formada por músicos experientes. Uma banda de adolescentes nasceu no meio da igreja e logo me vi diante do desafio de trazê-los para nossa equipe. Porém a estrutura era desapropriada para receber novos membros. Um exemplo disso era o repertório, formado por um número imenso de músicas e, muitas delas, muito antigas. Os “meninos” teriam muita dificuldade em assimilar todo aquele repertório. Minha decisão foi reduzi-lo. Junto com os outros ministros de louvor da igreja, diminuí consideravelmente nosso repertório, e assim o tornei mais acessível aos novatos. Essa e outras medidas podem ser tomadas para tornar sua equipe acessível. Outra medida que tomamos foi a de pedir para que os ministros de louvor enviassem a lista de músicas a serem executadas no culto pelo menos com três dias de antecedência.  Essa medida também facilitou para os novos. Com isso eles tinham mais tempo para se preparar.
   

Concluindo, gostaria de encorajá-lo a ser um líder inclusivo. Essa é uma tarefa desafiadora, talvez a mais difícil para um líder de louvor, mas extremamente necessária e recompensadora. Esteja atento, pois Deus estará levantando pessoas especiais a sua volta o tempo todo. É preciso reconhecer isso e ser suporte para o que Deus quer fazer através de outros.
   

Deus o abençoe.
   

 

Fabiano Alves

 


voltar

2010 Vineyard Recursos. Todos os Direitos Reservados.
Revelare, Agência de Comunicação e Internet