Vineyardbrasil
08.05.2015 Ler todos artigos

Relacionamento entre pastores e líderes de louvor

 No movimento Vineyard nós dizemos que nosso maior valor, e prioridade número um, é adorar a Deus. Temos praticado isto que pregamos sobre a adoração.
   

Quando pensamos sobre como isto tem acontecido, a cada semana e ano que se passa, descobrimos que existe um relacionamento que deve ser saudável e funcional, ou nossas igrejas não vão funcionar bem por muito tempo.
   

O relacionamento entre o pastor e o líder de louvor é o mais importante relacionamento a ser preservado e protegido, porque eles são as pessoas que mais se destacam no Domingo. Quando este relacionamento é “concebido nos céus” (você sabe, quando o líder de louvor e o pastor realmente gostam um do outro, se respeitam e apreciam a forma que o outro desempenha suas funções), então o líder de louvor sente-se mais afirmado e confiante. Ele sente-se liberado para permitir a liderança do Espírito Santo.
   

Da mesma forma, o pastor pode relaxar e adorar para que quando chegar a hora de pregar, suas engrenagens espirituais estarão lubrificadas e ele estará pronto para “mandar brasa”.
  

Infelizmente, o relacionamento entre o pastor e o líder de louvor freqüentemente parece que foi concebido em qualquer outro lugar, que não seja o céu.
  

Em um de seus grandes livros, The Inner Voice of Love (A Voz Interior do Amor), Henry Nouwen criou alguns títulos de capítulos que descrevem as dinâmicas entre alguns pastores e seus líderes de louvor. “Trabalhando junto de seu abismo”, “Entre naquele lugar que lhe causa dor” e “Reconheça sua impotência”. Você já entendeu a idéia. Alguns destes relacionamentos precisam ser grandemente trabalhados.
   

Para começar o processo de construção ou reconstrução, nós pensamos que seria útil falarmos sobre problemas que às vezes terminam em brigas, e divórcios. Já que esta é uma página dedicada a adoração, vamos deixar os líderes de louvor falarem primeiro este mês. Espere até ler a vez dos pastores no mês que vem.

    

Zé do louvor: Uma das razões mais importantes porque eu quis me tornar líder de louvor, é porque eu poderia passar mais tempo “juntinho” com o pastor, ser seu amigo, ser mentoreado, ele poderia ser meu paizão. Acontece que, a única hora que converso com ele é quando ele tem uma reclamação, ou quer que eu cante alguma música específica no Domingo.

     

Larry na posição do “pastor”: A verdade dura e fria é que muitas vezes não somos orientados para amizades mais próximas e pessoais. E quando montamos uma equipe para caminhar conosco, nós queremos e precisamos que seja um grupo que não demande muita manutenção. Em muitos casos vocês, líderes de louvor, são mais jovens e imaturos do que nós. Nós, pastores, não temos tanta expectativa deste tempo “juntinhos”. Pode ser que você tenha criado uma falsa expectativa? Convide seu pastor para um almoço e converse com ele.

     

Zé do louvor: Meu pastor é muito controlador! Ele não me deixa seguir o fluir. Eu tenho só 30 minutos, contados, na minha opinião, quando ele se levanta para falar, ele está sufocando o Espírito, porque eu acho que nós deveríamos continuar adorando.

      

Larry na posição do “pastor”: Saudável, responsável, guiado pelo Espírito, os pastores trabalham dentro de um plano global dado por Deus juntamente com seus propósitos, eles analisam a igreja tentando ver a “coisa toda”. Eles têm uma razão já pensada, que não vai ser sufocante para o Espírito, para parar quando ele quer que você pare.
    

Talvez em uma ou outra ocasião o pastor vai realmente sufocar o que o Espírito está fazendo, mas isto é entre ele e o Senhor. Normalmente seu pastor está de olho em coisas que você nem pensou a respeito, como: As crianças que não podem ficar nem mais um minuto dentro da igreja, ou a quantidade grande de anúncios a serem feitos. O ponto crítico aqui é que parte do trabalho/ caráter/ princípio espiritual para o líder de louvor é submeter-se à autoridade pastoral, e não permitir que uma atitude contenciosa cresça em seu coração. Outro “almoço de entendimento” pode ajudar muito. Ei!, talvez assim você vai ter seu tempo “juntinho” !
    

 Zé do louvor: Meu pastor me garante que a adoração é nossa prioridade número um, mas quando eu digo a ele que precisamos de mais ou melhores equipamentos, ele vidra seus olhos em mim e diz que não tem dinheiro para isto! Como podemos ter um louvor poderoso se parece que estamos tocando dentro de uma lata?
    

 Larry na posição do “pastor”: A questão de qualidade de som é subjetiva. Lembre-se que uma das responsabilidades do pastor é manter as finanças equilibradas.
    

A ligação que ele recebeu antes da sua, foi do pastor de jovens pedindo dinheiro para mandar os adolescentes para uma conferência muito importante. O supervisor da escola dominical precisa de mais materiais, porque acabaram de adotar um novo sistema de ensino que vai custar outro tanto.
    

Às vezes o líder de louvor convence o pastor a gastar milhares de reais para comprar um novo equipamento, e volta depois de três meses para pedir aquela coisa nova, que você tem certeza que vai fazer a grande diferença no som. Esta estratégia não vai decolar!
    

Fato é, que a maioria dos equipamentos disponíveis no mercado vão dar conta do recado se você souber como usá-los corretamente. Nem o melhor equipamento pode fazer milagres em um prédio com uma acústica ruim, ou se for operado por pessoas inexperientes, ou que não conhecem o assunto.
   

Se você realmente precisa dar uma melhorada no seu equipamento, faça uma boa pesquisa antes de falar com o pastor. Crie várias alternativas de sistemas completos, (não deixe de fora nem um pequeno cabo) liste todos os preços . Então, sente-se com o pastor e apresente suas propostas.
    

Aposto dez contra um, que ele fará tudo o que pode para ajudar. Mas não importa o que aconteça, não volte novamente em três meses e peça mais, ou você certamente terá de encarar aqueles olhos vidrados.
   

 Zé do louvor: Meu pastor fica me pressionando a aprender novas músicas, especialmente as mais agitadas. Ele quer que eu aprenda as músicas daquele novo grupo, mas eu não tenho tempo e na verdade eu não gosto muito daquelas músicas, e nosso baterista não é muito bom para tocá-las corretamente, ele fica atravessando, vai muito rápido e.....
   

 Larry na posição do “pastor”: Me desculpe, mas eu fico do lado do seu pastor desta vez. Você precisa continuar aprendendo músicas novas. Ouça todos os CDs que puder, para encontrar canções que mexam com seu coração e que inspirem você a aprendê-las. Eu concordo que as músicas realmente boas não aparecem toda hora. Elas são como pérolas preciosas, mas continue procurando. E se seu pastor quer que você aprenda as músicas daquele novo grupo, é bom que você faça isto – e goste.
   

Lembra-se da submissão? Se seus músicos não tocam muito bem as músicas rápidas, ensaie, ensaie, ensaie – Todos podem melhorar!
   

 Zé do louvor: Meu pastor está sempre me pressionando para achar novos líderes de louvor, músicos e cantores; para que eu seja mais inclusivo. Eu fico meio frustrado porque eu não sei exatamente como fazer isto, e no fim das contas o que eu quero fazer é tocar e adorar a Deus.

Larry na posição do “pastor”: Seu pastor é treinado para reproduzir, para levantar e para liberar. Ele está constantemente pensando sobre como manter todos ligados e servindo na igreja. Outras pessoas na congregação têm o mesmo dom, unção, e precisam liderar o louvor, tocar, e cantar como você faz, a única diferença é que você chegou lá primeiro. Parte do trabalho de um líder é encaixar as pessoas certas nas funções onde elas podem explorar todo seu potencial.
   

Isto significa que, se você for um “líder” de louvor, você também deve recrutar, treinar, liberar e monitorar novos líderes, músicos e cantores todo o tempo. Se você não sabe como, peça a seu pastor para ele treinar você (Ei! Mais tempo “juntinho”. Legal).
  

Além disso, quem ele vai por para liderar o louvor se seu carro quebrar no caminho da igreja e você não conseguir chegar a tempo? Hummmm?
   

Talvez você já ouviu que a chave para o sucesso nos negócios é o local onde ele está. Bem, a chave para um bom relacionamento é a comunicação. Eu acho que os pastores estão perdendo, se não estão desenvolvendo um relacionamento próximo com seus líderes de louvor, seja de amizade, mentoreamento, ou como colega de trabalho. Um relacionamento amável será visto no púlpito, e servirá como exemplo de relacionamento saudável ao corpo.No movimento Vineyard nós dizemos que nosso maior valor, e prioridade número um, é adorar a Deus. Temos praticado isto que pregamos sobre a adoração.
   

Quando pensamos sobre como isto tem acontecido, a cada semana e ano que se passa, descobrimos que existe um relacionamento que deve ser saudável e funcional, ou nossas igrejas não vão funcionar bem por muito tempo.
    

O relacionamento entre o pastor e o líder de louvor é o mais importante relacionamento a ser preservado e protegido, porque eles são as pessoas que mais se destacam no Domingo. Quando este relacionamento é “concebido nos céus” (você sabe, quando o líder de louvor e o pastor realmente gostam um do outro, se respeitam e apreciam a forma que o outro desempenha suas funções), então o líder de louvor sente-se mais afirmado e confiante. Ele sente-se liberado para permitir a liderança do Espírito Santo.
   

Da mesma forma, o pastor pode relaxar e adorar para que quando chegar a hora de pregar, suas engrenagens espirituais estarão lubrificadas e ele estará pronto para “mandar brasa”.
    

Infelizmente, o relacionamento entre o pastor e o líder de louvor freqüentemente parece que foi concebido em qualquer outro lugar, que não seja o céu.
    

Em um de seus grandes livros, The Inner Voice of Love (A Voz Interior do Amor), Henry Nouwen criou alguns títulos de capítulos que descrevem as dinâmicas entre alguns pastores e seus líderes de louvor. “Trabalhando junto de seu abismo”, “Entre naquele lugar que lhe causa dor” e “Reconheça sua impotência”. Você já entendeu a idéia. Alguns destes relacionamentos precisam ser grandemente trabalhados.
   

Para começar o processo de construção ou reconstrução, nós pensamos que seria útil falarmos sobre problemas que às vezes terminam em brigas, e divórcios. Já que esta é uma página dedicada a adoração, vamos deixar os líderes de louvor falarem primeiro este mês. Espere até ler a vez dos pastores no mês que vem.
   

 Zé do louvor: Uma das razões mais importantes porque eu quis me tornar líder de louvor, é porque eu poderia passar mais tempo “juntinho” com o pastor, ser seu amigo, ser mentoreado, ele poderia ser meu paizão. Acontece que, a única hora que converso com ele é quando ele tem uma reclamação, ou quer que eu cante alguma música específica no Domingo.
  

 Larry na posição do “pastor”: A verdade dura e fria é que muitas vezes não somos orientados para amizades mais próximas e pessoais. E quando montamos uma equipe para caminhar conosco, nós queremos e precisamos que seja um grupo que não demande muita manutenção. Em muitos casos vocês, líderes de louvor, são mais jovens e imaturos do que nós. Nós, pastores, não temos tanta expectativa deste tempo “juntinhos”. Pode ser que você tenha criado uma falsa expectativa? Convide seu pastor para um almoço e converse com ele.
    

 Zé do louvor: Meu pastor é muito controlador! Ele não me deixa seguir o fluir. Eu tenho só 30 minutos, contados, na minha opinião, quando ele se levanta para falar, ele está sufocando o Espírito, porque eu acho que nós deveríamos continuar adorando.
     

 Larry na posição do “pastor”: Saudável, responsável, guiado pelo Espírito, os pastores trabalham dentro de um plano global dado por Deus juntamente com seus propósitos, eles analisam a igreja tentando ver a “coisa toda”. Eles têm uma razão já pensada, que não vai ser sufocante para o Espírito, para parar quando ele quer que você pare.
   

Talvez em uma ou outra ocasião o pastor vai realmente sufocar o que o Espírito está fazendo, mas isto é entre ele e o Senhor. Normalmente seu pastor está de olho em coisas que você nem pensou a respeito, como: As crianças que não podem ficar nem mais um minuto dentro da igreja, ou a quantidade grande de anúncios a serem feitos. O ponto crítico aqui é que parte do trabalho/ caráter/ princípio espiritual para o líder de louvor é submeter-se à autoridade pastoral, e não permitir que uma atitude contenciosa cresça em seu coração. Outro “almoço de entendimento” pode ajudar muito. Ei!, talvez assim você vai ter seu tempo “juntinho” !
    

 Zé do louvor: Meu pastor me garante que a adoração é nossa prioridade número um, mas quando eu digo a ele que precisamos de mais ou melhores equipamentos, ele vidra seus olhos em mim e diz que não tem dinheiro para isto! Como podemos ter um louvor poderoso se parece que estamos tocando dentro de uma lata?
   

Larry na posição do “pastor”: A questão de qualidade de som é subjetiva. Lembre-se que uma das responsabilidades do pastor é manter as finanças equilibradas.
   

A ligação que ele recebeu antes da sua, foi do pastor de jovens pedindo dinheiro para mandar os adolescentes para uma conferência muito importante. O supervisor da escola dominical precisa de mais materiais, porque acabaram de adotar um novo sistema de ensino que vai custar outro tanto.
    

Às vezes o líder de louvor convence o pastor a gastar milhares de reais para comprar um novo equipamento, e volta depois de três meses para pedir aquela coisa nova, que você tem certeza que vai fazer a grande diferença no som. Esta estratégia não vai decolar!
   

Fato é, que a maioria dos equipamentos disponíveis no mercado vão dar conta do recado se você souber como usá-los corretamente. Nem o melhor equipamento pode fazer milagres em um prédio com uma acústica ruim, ou se for operado por pessoas inexperientes, ou que não conhecem o assunto.
   

Se você realmente precisa dar uma melhorada no seu equipamento, faça uma boa pesquisa antes de falar com o pastor. Crie várias alternativas de sistemas completos, (não deixe de fora nem um pequeno cabo) liste todos os preços . Então, sente-se com o pastor e apresente suas propostas.
    

Aposto dez contra um, que ele fará tudo o que pode para ajudar. Mas não importa o que aconteça, não volte novamente em três meses e peça mais, ou você certamente terá de encarar aqueles olhos vidrados.
    

Zé do louvor: Meu pastor fica me pressionando a aprender novas músicas, especialmente as mais agitadas. Ele quer que eu aprenda as músicas daquele novo grupo, mas eu não tenho tempo e na verdade eu não gosto muito daquelas músicas, e nosso baterista não é muito bom para tocá-las corretamente, ele fica atravessando, vai muito rápido e.....
   

Larry na posição do “pastor”: Me desculpe, mas eu fico do lado do seu pastor desta vez. Você precisa continuar aprendendo músicas novas. Ouça todos os CDs que puder, para encontrar canções que mexam com seu coração e que inspirem você a aprendê-las. Eu concordo que as músicas realmente boas não aparecem toda hora. Elas são como pérolas preciosas, mas continue procurando. E se seu pastor quer que você aprenda as músicas daquele novo grupo, é bom que você faça isto – e goste.
   

Lembra-se da submissão? Se seus músicos não tocam muito bem as músicas rápidas, ensaie, ensaie, ensaie – Todos podem melhorar!
    

Zé do louvor: Meu pastor está sempre me pressionando para achar novos líderes de louvor, músicos e cantores; para que eu seja mais inclusivo. Eu fico meio frustrado porque eu não sei exatamente como fazer isto, e no fim das contas o que eu quero fazer é tocar e adorar a Deus.
   

 Larry na posição do “pastor”: Seu pastor é treinado para reproduzir, para levantar e para liberar. Ele está constantemente pensando sobre como manter todos ligados e servindo na igreja. Outras pessoas na congregação têm o mesmo dom, unção, e precisam liderar o louvor, tocar, e cantar como você faz, a única diferença é que você chegou lá primeiro. Parte do trabalho de um líder é encaixar as pessoas certas nas funções onde elas podem explorar todo seu potencial.
    

Isto significa que, se você for um “líder” de louvor, você também deve recrutar, treinar, liberar e monitorar novos líderes, músicos e cantores todo o tempo. Se você não sabe como, peça a seu pastor para ele treinar você (Ei! Mais tempo “juntinho”. Legal).
   

Além disso, quem ele vai por para liderar o louvor se seu carro quebrar no caminho da igreja e você não conseguir chegar a tempo? Hummmm?
   

Talvez você já ouviu que a chave para o sucesso nos negócios é o local onde ele está. Bem, a chave para um bom relacionamento é a comunicação. Eu acho que os pastores estão perdendo, se não estão desenvolvendo um relacionamento próximo com seus líderes de louvor, seja de amizade, mentoreamento, ou como colega de trabalho. Um relacionamento amável será visto no púlpito, e servirá como exemplo de relacionamento saudável ao corpo.
   


voltar

2010 Vineyard Recursos. Todos os Direitos Reservados.
Revelare, Agência de Comunicação e Internet